PREVPAP - Queixa Provedoria de Justiça

Colega,
 
além do boicote a docentes e investigadores, o PREVPAP tem demonstrado uma dualidade de critérios, que muito tem prejudicado os docentes e investigadores.
 
A carta do reitor da Universidade do Algarve, pedindo reversão da sua própria decisão de regularização de 19 investigadores, é mais um triste episódio que revela o comportamento de reitores e presidentes de politécnico neste processo.
 
Esse comportamento só é possível devido à falta de definição de critérios transparentes e uniformes, e à conivência do Governo.
 
Dado o desequilíbrio e discricionariedade introduzidos neste processo, o SNESup vai avançar com uma queixa à Provedoria de Justiça.
 
Aos colegas, que já receberam decisão da CAB, pedimos que nos enviem, até dia 22 de abril, cópia dessa mesma decisão, quer nos casos de avaliação positiva, quer negativa, bem como uma descrição sumária da sua situação.
 
Este processo do PREVPAP possui lições importantes sobre a forma como reitores e presidentes de politécnico boicotaram ostensivamente a regularização dos mais qualificados, demonstrando mais uma vez um sinal de depreciação do valor da qualificação avançada.
 
Quando se deprecia aquilo que produzimos, não se espere que a restante sociedade dê uma resposta diferente, e valorize o que reitores, presidentes do politécnico e o próprio MCTES demonstram não saber valorizar. Baixar o custo de produção dos mais qualificados significa uma desvalorização efetiva do valor do conhecimento e da qualificação.
 
É impossível continuar nesta situação. Está mais do que claro que o sistema tem de mudar.
 
#éparacumprir
 
Saudações Académicas e Sindicais,
Direção do SNESup
 
8 de abril de 2019

© copyright SNESup | Todos os direitos reservados

 
visitas